7 de nov de 2007

Comentários sobre o Barão do Sul Garrafeira


José Luis Doldán, adido comercial do Consulado do Uruguai no Rio de Janeiro, foi um dos sorteados do EnoEventos, há alguns meses, ganhando um vinho Barão do Sul Garrafeira, oferecido pelo Ivan Barros, da Adega da Barra.

Conforme havia prometido, ele me enviou hoje os comentários sobre o vinho que ganhou. E não só comentou o vinho, como também descreveu a harmonização, só para nos deixar com água na boca. Vejam só o que ele nos conta:

Como tinha prometido, o Barão do Sul Garrafeira gentilmente cedido pela Adega da Barra e devidamente sorteado pelo site Enoeventos, ficou no aguardo de um bom pernilzinho de cordeiro assado no forno, para efetuar o "maridaje" como se diz na minha terra.

A perna de cordeiro foi marinada no vinho tinto (como o cordeiro era uruguaio, o vinho foi Tannat, pra ele não achar estranho !!!) com abundante alho triturado e uma generosa porção de "adobo uruguaio". Ficou assimilando os temperos por uma noite e apesar de que há quem diga que isso endurece a carne... eu respondo, - deixa que eu a como!

A "perninha" foi ao forno, no seu próprio marinado, cozinhando até reduzir o molho quase que completamente, virando-a algumas vezes para conseguir dar aquela cor e uma crosta "crocante".

Sobre o Barão do Sul, servido junto a nossa "ovina iguaria" a uma temperatura de 17º, na Serra Teresopolitana, que nos brindava com uma temperatura bem amena, apresentou uma cor vermelho rubi bastante escura, com alguns reflexos violáceos. Aromas intensos de frutas vermelhas, muita ameixa, amora, confiture, algo de frutas maduras, aromas de torrefação como café torrado, baunilha, madeira, um frescor de alcaçuz....nariz complexo, intenso e persistente. Podemos defini-lo como um vinho bastante equilibrado, de bom corpo, com taninos bem presentes porém muito macios, indicando vida longa, com acidez e álcool bem equilibrados.

Desta forma podemos dizer que é um belo vinho (que me perdoe o meu amigo Christóvão pelo plágio do Belovinho...) que combinou muito bem com a perna de cordeiro assada. Não posso deixar de dizer que o cordeiro foi "feito por Suzana" e que sem a sua companhia, a excelência do vinho e do cordeiro teriam perdido grande parte do seu brilho.

Certamente haverá outros Barão do Sul Garrafeira na nossa mesa, depois de experimentar este, tanto a Suzana como eu, ficamos no aguardo do "Bis". Quem sabe o próximo vai com uma picanha na brasa e molho de "Chimichurri"??? (esse é comigo!).

Agradeço mais uma vez a todos aqueles que me apresentaram ao Barão do Sul, que veio para ficar...

¡ Salud !

José Luis Doldán

Nenhum comentário: