17 de jul de 2008

Sommelier carioca no Spumanti d'Italia


É sempre bom saber que os profissionais brasileiros estão cada vez mais respeitados no exterior!

Foi, portanto, com grande satisfação que recebi a notícia de que a sommelier carioca Alessandra Rodrigues foi convidada para ser jurada no prestigiado concurso de espumantes italianos, em Conegliano, no Veneto. Aliás, Alessandra foi a única representante brasileira nesse concurso.

O Spumanti d'Italia, realizado nos dias 14 e 15 de julho, avaliou 312 espumantes de 12 diferentes regiões italianas.

11 de jul de 2008

Humor etílico XX

Colaboração de Robert Phillips

8 de jul de 2008

Livro comemorativo aos 200 anos da chegada da Família Real

Publicação traça panorama das relações comercias entre a vinícola e o Brasil


Em comemoração aos 200 anos da chegada da Família Real ao Brasil, a Real Companhia Velha, representada no Brasil com exclusividade pela Importadora Barrinhas, lança, dia 10 de julho, às 18h, no Palácio São Clemente, no Rio de Janeiro, o livro O Brasil, o Douro e a Real Companhia Velha. A obra faz um apanhado das relações comerciais entre a empresa e o Brasil ao longo dos mais de 250 anos da vinícola, que fornecia exclusivamente os vinhos bebidos pela corte.

O lançamento terá a presença do autor, o português Fernando de Souza, que fará explanações sobre o livro, do presidente da Real Companhia Velha, Pedro Silva Reis, e do cônsul de Portugal, Antonio Almeida Lima. No coquetel de lançamento, serão servidos vinhos da vinícola e menu do Isidro Buffet. O livro será lançado também no Recife, no dia 16/07, às 18h, com jantar no Restaurante Leite; e em Salvador, no dia 17/07, às 20h, com coquetel na Associação Comercial da cidade;

Em O Brasil, o Douro e a Real Companhia Velha, o autor analisa o papel da vinícola na economia do Brasil no final do Antigo Regime, sabendo que o Atlântico, durante o século XVIII e as duas primeiras décadas do século XIX, constituiu o quadro do comércio externo português. O livro contribui para a reconstituição do movimento comercial atlântico, já que a Real Companhia Velha alimentou um importante comércio transatlântico, dominando as rotas institucionais de fornecimento sobretudo de vinhos de Portugal para o Brasil.

O livro começa com um capítulo dedicado à política econômica do Marquês de Pombal e segue com a apresentação da Real Companhia Velha. Durante o texto, são ressaltadas as dificuldades sentidas pelas primeiras esquadras enviadas ao Brasil devido à oposição de que foram alvo por parte dos ingleses e da burguesia de negócios do Porto. Também são abordados os negócios da vinícola com o Brasil no que diz respeito a produtos, preços, remessas e transportes. Para encerrar, o autor faz uma abordagem à Real Companhia Velha após a independência do Brasil.

Fundada em 1990, com matriz no Rio de Janeiro e escritório comercial em São Paulo, a Importadora Barrinhas tem representantes nos principais estados do Brasil e é líder na importação de vinhos portugueses da região DOC Douro para o Brasil. A importadora representa vinícolas italianas, francesas, espanholas e chilenas, além de produtores de alimentos como azeite de diversas origens, aceto balsâmico, tomates italianos, entre outros.

5 de jul de 2008

Vinhos em João Pessoa

Passei essa semana em João Pessoa, a trabalho. Nada a ver com vinhos. Mas, vejam só, eu não preciso mais correr atrás deles. Eles é que correm atrás de mim.

Hospedei-me em um hotel que me foi recomendado pela empresa para a qual iria prestar serviço. Embora fosse um hotel com boa localização, boas instalações e bons serviços, estava longe de ser um hotel requintado.

O restaurante do Hotel, no entanto, é um dos mais sofisticados de João Pessoa. E chama-se Adega do Alfredo, revelando seu verdadeiro objetivo. Mais do que um restaurante, era um wine bar!

Com uma grande adega de vidro bem no meio do salão, o restaurante oferece, à noite, um buffet de antepastos (queijos, frios, frutas secas, pastas, pães, ...) prá ninguém botar defeito. Você pode se sentar, pedir um vinho e acompanhar só com esse buffet. Eu me senti como pinto no lixo!

Eu sei que quando a gente vai ao Nordeste, fica logo esperando uma barganha. Mas esqueça! O buffet de antepastos custa nova-iorquinos 27 reais! Mas vale a pena...

Com iluminação bem discreta, um pianista tocando a noite inteira e bastante movimentado, atraindo uma clientela acima dos 40, é o local ideal para quem gosta de beber com tranquilidade, em um lugar onde se pode conversar sem ter de usar um megafone!


A carta de vinhos não é de entusiasmar, mas dá pro gasto! Eu me lembro dos Herdade do Esporão, do Cartuxa, do Misiones de Rengo, de alguns Salton e de muitos Tarapacá!

Outras duas casas que valem a pena serem visitadas me foram indicadas pela colunista do Correio da Paraíba, Messina Palmeira, a presidente local da Confraria das Amigas do Vinho.

Uma delas é o Empório Gourmet, uma delicatessen com mesas dentro, na varanda e na calçada. É um ambiente descontraído, com público mais na faixa dos 30. As opções de vinho são exatamente as mesmas do restaurante do hotel.

A outra é o Bistrô Boulange, um restaurante francês agradável, com boa cozinha e mesas na varanda. Mas eu fiquei com a pulga atrás da orelha, pois a carta de vinhos era exatamente igual à das outras duas casas!

Conversando com a proprietária do Bistrô, matei a charada. As cartas são organizadas pela Importadora Licínio Dias, com sede na Paraíba e que, aparentemente, domina o mercado de vinhos local.


Serviço:

Adega do Alfredo - Royal Praia Hotel, Rua Coração de Jesus, s/n - Tambaú
Bistrô Boulange - Av. Olinda, 292 - Tambaú
Empório Gourmet - Av. Gal. Edson Ramalho, 504 - Manaíra