14 de out de 2007

SBAV - Castilla y León - A "força" dos tintos da D.O. Toro - Por Ahnis Fraga

Enfoque: as “Denominações” de Origem vinícolas de D.O Toro e Vino de la Tierra de Castilla y León

Aos tintos!



Uma noite de 6 tintos bastante distintos aromaticamente, características visuais marcantes e, na boca, presentes e estruturados. Alguns mais interessantes no nariz do que na boca, mas o mais importante desta noite: perceber a “força” dos vinhos de D.O. Toro, diferenciar quando um vinho está com aromas de madeira e fruta harmonicamente integrados precisando apurar o olfato para captar cada elemento.

Vinhos estudados:

D.O Cigales
- Calderona Reserva 2001 (100% Tinto Fino) Bodegas Frutos Villar S.L.

D.O. Toro
- Finca Sobreño Crianza 2002 (100% Tinta de Toro) Sobreño S.A.
- Muruve Crianza 2003 (100% Tinta de Toro) Bodegas Frutos Villar S.L.
- San Roman 2003 (100% Tinta de Toro) Bodegas Y Viñedos Maurodos S.A.

Vino de la Tierra de Castilla y León
- Vegas 3 2004 (40% Tempranillo, 30% Cabernet e 30% Merlot) Avelino Vegas S.A
- Selección Especial 2001 (75% Tempranillo, 20% Cabernet e 5% Merlot) Abadía Reuerta S.A.

Iniciamos com Calderona Reserva 2001, um vinho ainda da D.O. Cigales. Um rubi intenso, aromas de madeira e frutas mais maduras tão harmonicamente integrados que pareciam um só. A madeira remetia baunilha e, após algum tempo ao copo, consegui perceber um pouco de chocolate não muito intenso. O nariz abria ao pouco de mentol deste vinho. Na boca, deixa a desejar. Falta estrutura, isto é, não “preenche” e mostra-se sem equilibrio. A acidez acentuada deste vinho deixa um certo amargor ao final. Mais interessante ao nariz que à boca.

Os 3 vinhos de D.O. Toro eram de um rubi intenso, forte. Uns brilhantes outros nem tanto, mas todos como sangue, bem escuro.

San Roman 2003 foi que mais me agradou dos de D.O. Toro pelos aromas florais intensos, a presença da madeira era mais potente, porém bastante elegante, nada agressiva ao nariz e trazia aromas de alecrim e balsâmico sutis. Na boca provocava sensação de boca seca pelos taninos ainda duros.

Elegeria o vinho da noite o Selección Especial 2001, pela suavidade ao passear pela boca, a sensação de refrescancia e o sabor intenso e persistente à boca. Seus aromas eram bem interessantes: especiarias, couro sutil, frutas negras e um tom lácteo que me lembrou muitissimo bala toffe (caramelo).

Onde encontrar:
www.vincivinhos.com.br
www.dolivino.com.br
www.expand.com.br
www.grandcru.com.brwww.peninsula1.com.br

Nenhum comentário: