21 de ago de 2007

Degustação Miolo


Confesso que a viagem virtual pela Miolo me encantou – e seus vinhos surpreenderam muitíssimo...

Sexta a noite, fui a ABS Flamengo incrédula.
Miolo era sinonimo, até aquela noite, de vinhos simples, sem grande expressão e nada mais.

Inicia a apresentação da Miolo Wine Group e fico surpresa. Tecnologia e elegância, assim definiria a Miolo que descobri – ou me permiti conhecer.


Os vinhos da noite foram:

  • Gran Lovara, 1999 (Serra Gaúcha/RS)

  • Quinta do Seival Cabertet Savignon, 2005 (Campanha/RS)

  • Merlot Terroir, 2004 (Vale dos Vinhedos/RS)

  • RAR, 2004 (Campos de Cima da Serra/RS)

  • Lote 43, 2004 (Vale dos Vinhedos/RS)


  • A sala é tomada por um aroma agradabilissimo, assim marca sua chegada o Gran Lovara.
    Cor encantadora, um vermelho rubi escuro intransponível – uma bela “mistura” das uvas Cabernet Savignon, Merlot e Tannat. Porém é seu aroma que brinca no ar. Extremamente aromático, as frutas vermelhas maduras marcam bem este vinho.
    Na boca, bem estruturado, acidez equilibrada e taninos já finos, isto é, a língua fica seca, mas nada áspera. Mostra-se presente na boca, diria um vinho “carnudo”.

    Quinta do Seival é um vinho quente. Sente-se um certo trufado em seu aroma, fundo de copo mostra o “doce” caramelo extraído de sua “estadia” em barrica americana por um ano. Contudo taninos ainda marcantes.

    A produção na região do Vale do Vinhedos impressiona pela tecnologia empregada, mas que não suplantou a bela natureza. Ali nasce o tão esperado da noite Lote 43 como, também, o Merlot Terroir. Este vinho chamou atenção por duas particularidades: o toque de mentol que “abre” o olfato assim que o aproximamos do nariz, mas pelo belo aroma de rosas do fundo de copo.

    RAR é produzido numa das regiões mais altas e frias do Brasil, mas o vinho é elaborado no Vale dos Vinhedos. Envelhece 1 ano em barrica de carvalho e mais um ano em garrafa. Características que chamam atenção: um toque sutil de eucalipto, especiarias e presença de aromas vegetais.

    Lote 43 vinho que causou grande surpresa. Já tinha ouvido falar do ícone da Miolo, especialmente a safra 1999. Provamos sua última safra elaborada, uma vez que, segundo enólogo da Miolo, os vinhos tops não têm a “obrigação” de produção constante, mas de excelentes safras. Completamente diferente dos vinhos anteriores, este tem um vermelho tendendo ao castanho diria. Uma cor muito bonita e diferente. Impressionou seu aroma bem sutil de café. Ainda ácido e com taninos marcantes. Merece envelhecer mais alguns bons anos, mas mesmo assim impressiona muitíssimo!

    Nesta degustação descobri vinhos nacionais atraentes.
    Elegeria o Gran Lovara 1999 o presente da noite: aroma marcante e envolvente na boca.



    Onde encontrar:
    http://www.miolo.com.br/

    SAC: 0800 9704 165

    2 comentários:

    Patricia disse...

    Adorei. Sempre tive curiosidade em saber mais sobre o Miolo.
    Parabéns mais uma vez pela bela explicação.
    Beijos

    Anônimo disse...

    Valeu, ainda não tinha experimentado um Miolo, apesar de já ter ouvido bons comentários sobre eles.
    Bjs.
    Lidia