10 de ago de 2007

Vinho em Julgamento


Imagine-se dando notas em vinhos julgados pelos grandes críticos de vinhos do mundo...

Acabo de participar de uma degustação, na ABS Flamengo, orientada impecavelmente por Celio Alzer, onde pude experimentar cinco excelentes vinhos julgados por críticos que, muitas vezes, influenciam até mesmo em características de vinho de grandes produtoras, o crítico Robert Parker é um destes, por exemplo.

Os vinhos da noite foram:



  • Riesling Langeloiser Kamptaler Terrassen, 2004 (Áustria)

  • Panarroz, 2004 (Espanha)

  • Pegos Claros, 1999 (Portugal)

  • Doña Paula Estate Cabernet Savignon, 2004 (Argentina)

  • Castello de Ama, 2003 (Itália)


Primeiro vinho e uma agradável fragrância de frutas frescas como pêssego, senti um pouco de pêra, algo cítrico e um toque sutil de mel – sutil no início, pois tornou-se bem intenso no chamado fundo de copo ou aromas que ficam na taça após todo liquido ser consumido – e flores! Belas acácias enfeitaram ainda mais o aroma. Pude perceber, ainda na taça, o gás carbonico da fermentação, evidenciado na boca ao “espetar” a língua.

Este vinho austríaco Riesling, uma das nobres variedades (castas) brancas, da região de Kamptal cultivado em terraços – por isso seu nome Kamptaler Terrassen ou terraços de Kamptal – mostrou o que se espera de um vinho branco: frescor, leveza, mas surpreendeu ao preencher a boca com seu corpo.

Da Ástria à Espanha e o interessante Panarroz. 42% Monastrell, uma das castas mais representativas do Mediterrâneo, este vinho da região de Jumilla, mesmo não passando em madeira, apresentou um aroma de caramelo impressionate, especialmente no fundo de copo.

E o português da noite: Pegos Claros! Saboroso aroma, deliciosa aparência, cor inebriante!
Produzido exclusivamente com a uva castelão – ou periquita como é mais conhecida desde 1930 por causa da quinta Cova da Periquita –, este vinho surpreende os sentidos: todos! Visualmente belo, de um vermelho rubi escuro com tons alaranjados que denunciam sua idade, aromas que passeam das frutas em copota como framboesa, ameixa à tão presente baunilha da barrica de carvalho português a amêndoa torrada e, ao agitá-lo na taça, os leves aromas de couro e tabaco – não me agradam, mas têm grande significado para um vinho – mostram sua evolução, sua maturidade. Acho que senti a tão falada sensação de maciez redonda na boca. Impecável! Melhor ainda ao saber que custa menos de R$ 50,00! O mais interessante: quanto mais tempo na taça, mais aromas desprendia! Adocicados, saborosos!

Depois deste belo português, os outros apenas compuseram o cenário da noite. O argentino Doña Paula Estate 100% cabernet savignon com toques de especiarias e um frescor que abria o olfato também marcou; embora, na boca, fosse um tanto “apressado”, pois sua presença desaparecia tão rápido quanto tornava-se presente ao primeiro toque a língua. Um vinho impactante, mas pouco intenso.

Terminamos a noite com um Chiati Classico maravilhoso, mas o português me encantou e nem mesmo esse excelente Chianti de uma safra atipica me envolveu. Em 2003, devido ao forte calor na Europa, as uvas foram colhidas antes do tempo e poucos conseguiram elaborar bons vinhos. Este surpreende pela qualidade, presença e algumas características nada comuns aos Chianti como teor alcoolico de 14%.

A degustação mostrou algo muitíssimo interessante: altos preços não são sinonimo de bons vinhos, pois, na minha opinião e de alguns outros, o vinho da noite foi o mais barato entre os apresentados. Sem falar que as notas... Bem, acho que minha inexperiencia tornou-me mais crítica que Robert Parker e Jancis Robinson juntos, pois nenhuma das minhas notas chegaram perto das deles - a mais próxima foi a do "português encantador" avaliado por Jancis Robinson...:D

Um grande beijo,

Ahnis Fraga

Onde encontrar:
Mistral (Noemia, tel.: 2274 4562) – Riesling Langeloiser, Pegos Claros e Castello de Ama
Gran Cru (Anna Bosso, tel.: 2511 7045) – Panarroz e Doña Paula Estate

3 comentários:

Oscar Daudt disse...

Parabéns, Ahnis.

Suas postagens estão valorizando nosso blog.

Oscar Daudt

Anônimo disse...

Parabéns, Ahnis.
Com os seus comentários, vou poder comprar meus vinhos mais segura. Vou experimentar esse nesse final de semana um deles. obrigada e me mantenha informada....SImone Baeta

Anônimo disse...

Ahnis,

Mesmo sendo ainda inexperiente como falou, seus comentários foram maravilhosamente poeticos, e para mim que de vinho nada entendo, foi de especialista, que percepção hem!!!!
Parabéns ,continue escrevendo, estou gostando de entender um pouquinho sobre vinhos.

Mônica.