27 de ago de 2007

A história do vinho mal guardado


Muito embora eu seja, hoje em dia, um tarado por vinhos, só beba vinhos, só pense em vinhos, só leia sobre vinhos, respire vinho, este é um fenômeno recente. Até 4 anos atrás, eu só bebia vinho por obrigação.

Portanto, foi uma surpresa para mim, ao revirar um armário que eu nunca visito, encontrar bem no fundo uma garrafa de vinho. Não faço idéia de onde ela surgiu. Mas com certeza, estava há mais de 4 anos lá, esquecida. Empoeirada, rótulo mofado e.... sacrilégio dos sacrilégios, em pé!

Era um Vinho Regional Alentejano, Tinto da Ânfora, safra 1996, da JP Vinhos. (Pela safra, eu poderia imaginar que o vinho deveria estar lá desde 1998!) As castas eram Periquita (aparentemente, naquela época, ainda não se chamava Castelão), Trincadeira Preta, Aragonez, Moreto e Alforcheiro (escrita desse jeito mesmo). O rótulo ainda anunciava que o vinho iria se beneficiar com 10 anos de guarda cuidadosa. Bem, no fundo de um armário e em pé, não é exatamente o que se chama de guarda cuidadosa!

O vinho em si, tinha tudo para ser e estar maravilhoso, se não fosse o desleixo na guarda. Mas há 10 anos atrás, eu nem sabia que o vinho deve ser guardado deitado!

Abri quase que imediatamente, curioso que estava para ver o estado de conservação, muito embora eu tivesse certeza de que deveria estar quase que um "aceto balsamico".

A rolha estava perfeita! Seca, é claro, mas não mofada ou apodrecida.

A cor era de grande evolução! Uma cor castanha, com reflexos alaranjados. Transparente e sem depósito nenhum!

Os aromas eram, é claro, também de evolução. Muito embora houvesse uma leve nota de oxidação, o que sobressaía eram o couro, a caça, a terra, o café e o tabaco! Como diria o suicida, ao passar pelo terceiro andar: "Até aqui, tudo bem!"


E na boca? Sápido, macio, pouco encorpado, sem taninos e... delicioso!!!! Aleluia!

Será que essa história derruba alguns mitos ou eu simplesmente dei a sorte de encontrar uma rolha mais que perfeita?

Sei lá. Mas que foi uma experiência muito gratificante, isso foi!

Oscar Daudt

Um comentário:

Henrique disse...

Incrível Oscar, imagino como ficaria se tivesse sido guardado em condições ideais... ou melhor, se tivesse sido decantado... muita sorte, parabéns...

Henrique Paes (Reloco)