14 de ago de 2008

Vinhos para a Lei Seca

As Bodegas Torres, a grande vinícola espanhola, lançou naquele país um vinhos perfeito para os novos tempos brasileiros: o primeiro vinho sem álcool (ou quase, 0,5% de teor alcoólico).

O lançamento ocorre poucos meses depois que a vinícola Casa de la Ermita, de Jumilla, apresentou o primeiro vinho de baixa graduação (6,5% de álcool): um tinto chamado de Altos de la Ermita, corte das castas Monastrell, Tempranillo e Petit Verdot.

Ambas são iniciativas que enfrentam a queda de consumo de vinho em bares e restaurantes devida ao medo que o bafômetro vem despertando nos motoristas espanhóis. Lá como cá...

Um dos problemas que os novos produtos vão enfrentar reside no próprio nome de vinho, tendo em vista que a legislação européia exige um mínimo de 9% de álcool (com algumas exceções) para que uma bebida seja assim identificada.

A Casa de la Ermita esclarece que o baixo teor alcoólico de seu produto se deve ao stress hídrico a que submete os vinhedos, explicação que despertou um certo ceticismo. O vinho da Torres, batizado como Natureo, por outro lado, parte de um vinho aromático que, após fermentação de 2 semanas, tem sua graduação alcooólica diminuída por um processo físico.

É interessante a escolha da casta pela Torres: um 100% moscatel romano, da DO Penedés. É uma das castas mais aromáticas e sua utilização parece decorrer do desejo de manter a maior sensação de que se está bebendo um vinho.

Em seu comunicado à imprensa, a Torres informa que seu vinho Natureo é um produto projetado para aqueles que por alguma razão não podem consumir vinho, tais como mulheres grávidas e aqueles que vão dirigir.

O Natureo será vendido por 7 euros (cerca de 18 reais) enquanto que o Altos de la Ermita custará 12 euros (cerca de 31 reais).

Por enquanto, ambas as casas espanholas não têm planos para vender os novos produtos fora da Espanha. Tolinhos, eles não sabem o mercado que estão perdendo por aqui!

4 comentários:

Anônimo disse...

Grande Oscar.... Vinho sem alcool??? Stress hídrico??? Sei...
Sendo assim, vou de água mineral mesmo!
Oa caras só podem estar de brincadeira. É melhor beber uma dose pequena de vinho, que uma garrafa dessa "coisa". Por isso diez na matéria, "Feito para quem não pode beber vinho" ou seja NÃO É VINHO !!!
Bebe um vinho bom... e vai de taxi!
José Luis Doldán

Oscar Daudt disse...

Calma, Doldán... A gente ainda nem provou... E a Torres não iria comprometer seu nome lançando algo intragável!

Eu já pedi à Reloco para ver se ela consegue uma garrafa para eu fazer um vídeo-vinho com ele. Se eles conseguirem, eu te dou uma provinha!

Grande abraço,

Oscar

Júlio Souza disse...

A palavra de ordem é e sempre será "inovação". Mas em alguns seguimentos, esta palavra não pode sempre ser levada ao pé da letra. Vinho é cultural, harmonia, prazer, "fermentação"!!! Já temos os bio-dinâmicos, orgânicos, colcher, etc... Mas vinho sem álcool?! Não rola.

Júlio Souza
julio@expandbarra.com.br

Anônimo disse...

Salve amigo Oscar,essa é pra registrar nos compêndios das enosensualidades...!
" ...um amigo paulista, bom apreciador de vinhos e de mulheres, disse que...beber vinho sem alcool é igual a consumir...uma intensa transa com uma bela mulher,porém,ela portando sutiã...!"
Será ?...dependendo da safra vale até degustar...!
Abs bobchef